Kony 2012 poster

Vídeo: KONY 2012
(Reserve 30 minutos da sua vida para assistir a este vídeo!)

 Em tempos de Facebook, provavelmente você já cansou de ver alguma publicação dos seus amigos divulgando alguma causa solidária, desde um protesto contra a destruição do mangue de uma famosa praia próxima da sua cidade pela construção de uma estrada até uma campanha para salvar a gata grávida da vizinha, isso quando você não tem amigos sem noção que repostam fotos chocantes e desnecessárias. É verdade que esse tipo de revolução de sofá enche o saco mas eu garanto que você nunca viu uma campanha tão sensacional como essa que está rolando agora contra Joseph Kony!

 KONY 2012 é uma campanha criada pela Invisible Children, cujo o objetivo é divulgar as atrocidades que Joseph Kony (líder de um grupo rebelde na África) comete contra crianças em Uganda para sensibilizar a população e conseguir assim criar algum tipo de pressão no poder público, mais especialmente na maior potência do planeta, os EUA. Para isso a ONG criou esse vídeo documentário onde conta como pretende fazer isso. =)

 Basicamente o vídeo conta a história de Jason Russell, cofundador da Invisible Children, e seu relacionamento com Jacob um garoto africano que assim como muitas outras crianças do norte de Uganda vivem sobre o medo constante de serem sequestradas, molestadas e eventualmente assassinadas pelo grupo rebelde L.R.A., realidade essa tão cruel que torna-se ainda mais impactante quando Jason traça um paralelo com a vida do seu simpático filho Gavin.

 Além de nos apresentar a essa dura realidade o qual não estamos acostumado graças ao nosso confortável estilo de vida ocidental e servir como propaganda das ações e da mobilização mundial da organização solidária criada por Jason, o vídeo ainda traz uma penca de informações interessantes, entre elas a que mais me chamou atenção foi o fato de que a força tarefa enviada à Uganda pelo exército americano ser a primeira vez que tropas dos Estados Unidos vão a um local por pura pressão da população onde o governo não tem nenhum tipo de interesse político ou econômico. Não por auto-defesa, mas sim porque era o certo a se fazer.

 O filme é poderoso (tipo aqueles que fazem você voltar a acreditar na humanidade), extremamente emocionante e tão, mais tão interessante que você fica com a impressão que os 30 minutos de duração passaram em apenas uns três. Não é a toa que o vídeo, ainda sem legendas em português, conseguiu em menos de um dia ter mais de 28 milhões de visualizações no YouTube, fora muitas outras no Vimeo tornando-se um verdadeiro fenômeno na internet! Tão impressionante que eu, que vivo disso, posso dizer que nunca vi algo espalhar de maneira tão rápida assim.

 Entretanto nem tudo são flores. Apesar do sucesso fenomenal do belíssimo vídeo, muitos blogs e meios de comunicação acusam a Invisible Children de gastar a maior parte de seu financiamento com salários, despesas de viagem e a criação de vídeos como esse, o que eu não vejo como um problema assim tão grande desde que eles continuem informando a população para que essa exerça pressão nos governos.

 O problema é que um professor de ciências políticas da Yale (que, convenhamos, entende do assunto muito mais do que eu) disse que a Invisible Children é mal administrada, ingênua e até mesmo perigosa. Como se não bastasse a revista Foreign Affairs acusou a organização de manipular os fatos por questões estratégicas e foi criticada pela Charity Navigator, que disse que apenas 31% das doações são usadas de fato para ajudar alguém. =/

 É claro que Joseph Kony é um cara mal e merece ser punido por todas as atrocidades e crimes de guerra que cometeu mas tais acusações criam uma certa mancha na imagem da organização, já que tudo o que ela faz é baseada na confiança de que o dinheiro de seus contribuintes estará fazendo a diferença de alguma maneira. Tanto é que a Invisible Children em um comunicado se defendeu dizendo que a filosofia dela é "ver para crer" e que por isso eles são baseados na mídia. Eu particularmente acredito na bondade dos seres humanos, a ponto de achar que uma instituição como essa que traz informações desse tipo para largas camadas da sociedade não faria um vídeo tão bonito como esse apenas como propaganda para que seus responsáveis ficassem ricos a custo das doações.

 Enfim, se a Invisible Children tem interesses obscuros ou não uma coisa é certa: O vídeo é sensacional e me apresentou de maneira muito bonita a uma realidade que precisa parar, motivos mais do que suficientes para acreditar que essa organização merece sim continuar o seu trabalho. Tanto é que apesar de tantas críticas, resolvi publicar o vídeo aqui e estudo a possibilidade de doar alguns dias do suado rendimentos do PortalCab para ajudar tal instituição. E você? Assista ao vídeo, leia o post, reflita sobre o assunto e até a próxima! =)

Busque conhecimento: BBC, The Daily Wh.at e Foreign Policy.

     Compartilhe esse post em seu Twitter, Facebook, orkut ou onde preferir! =)
O que você pode fazer pela cidadania? KONY 2012